Alimentos

Anvisa proíbe venda de pimenta contaminada com coliformes fecais

Trata-se de um lote de pimenta-do-reino preta em pó da marca Kitano; também foi encontrada a bactéria Escherichia coli, que causa doenças

Lote de pimenta-do-reino em pó está contaminado/ Crédito: Reprodução
  •  
  • Deborah Giannini, do R7
  • 20/06/2018 - 14H35 (ATUALIZADO EM 20/06/2018 - 14H35)

 

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilânica Sanitária) proibiu a comercialização de um lote de pimenta-do-reino preta em pó da marca Kitano. O órgão de saúde identificou a presença de coliformes fecais no alimento.

O produto é fabricado pela empresa General Mills. A proibição foi divulgada pela Anvisa na última segunda-feira (18).

Leia também: Anvisa proíbe Viagra Master e remédio para o coração

O lote contaminado é de número D17BRMP08 5 e com validade até 30 de setembro de 2018. Esse lote foi proibido em todo o território nacional. Segundo a Anvisa, os demais lotes podem ser comercializados normalmente.

 

O órgão informa que a análise da pimenta-do-reino foi feita pelo Laboratório Central Dr. Giovanni Cysneiros - Lacen-GO, em Goiás.

De acordo com o laudo, ficou constatada a presença de coliformes a 45°C, o que é um indicador de contaminação fecal em alimentos, e o Escherichia coli, uma bactéria gram negativa que é capaz de causar gastrenterites.

A empresa General Mills informou que todas as medidas já foram tomadas para a retirada do lote dos pontos de venda. A Kitano divulgou nota orientando os consumidores a não utilizar o tempero, guardar a embalagem e entrar em contato com o SAC pelo telefone 0800 770 1629. A empresa afirmou, também por meio de nota, que irá realizar a troca ou reembolso do produto sem qualquer custo.

 

Mais de Alimentos