Internacional

Polícia alemã prende ativistas que viviam em floresta para protegê-la

Empresa de energia pretende usar a área para expandir as atividades de mineração de carvão; manifestantes viviam no local há cinco anos

Foto: Wolfgang Rattay/Reuters - 14/9/2018

A polícia alemã chegou cedo nesta sexta-feira, 14 de setembro, na floresta Hambacher, na localidade Kerpen-Buir, perto de Colônia, na Alemanha. É o segundo dia da operação que pretende desocupar o local onde, há cinco anos, ativistas vivem em um acampamento feito de barracas e casas construídas nas árvores. O grupo quer evitar que uma empresa de energia ocupe a área para expandir suas atividades de mineração de carvão. No início da manhã, um ativista nu foi levado pelos policiais após ser preso em uma das casas.

A operação está sendo realizada por forças policiais especiais de detenção, equipadas com pistolas de alta precisão. Os policiais estão atravessando a área verde que ainda não foi ocupada pela empresa de mineração e que os ativistas planejam proteger. Eles pediram à empresa, a RWE, para adiar o início da extração até o prazo final de um ano para uma comissão apresentar planos ao governo para a saída da energia movida a carvão.

A polícia levou guindastes para derrubar as casas construídas nas árvores e fazer uma limpeza na floresta. Um porta-voz da polícia disse que medidas estão sendo tomadas para impedir que os ativistas retornem ao local.

A Alemanha pretende aumentar a quota de energia eólica e solar de um terço para 65% até 2030, para ajudar a reduzir as emissões de dióxido de carbono e alcançar os seus compromissos climáticos, em consonância com os desejos do novo governo de coligação.

A operação começou na última quinta-feira, 13 de setembro, depois de uma tentativa de negociação entre ativistas e empresa falhar. Quando a polícia chegou na área, os manifestantes organizaram um protesto pacífico para tentar impedir que a limpeza e a retirada fossem feitas.

Eles também construíram barricadas com troncos e galhos de árvores para tentar impedir que a polícia entrasse na floresta 

                                                  Foto: Thilo Schmuelgen/Reuters - 13/9/2018

Eles também construíram barricadas com troncos e galhos de árvores para tentar impedir que a polícia entrasse na floresta. Em uma das barricadas foi colocada uma boneca infantil. As tentativas não foram o suficiente e alguns manifestantes foram presos e levados pela polícia.

Há cinco anos o grupo vivia na floresta em barracas e casas de madeira construídas nas árvores. Esta tem um banner onde está escrito: "A Floresta Hambacher está viva".

Eles também usavam um sistema de cordas entre as casas que ficavam nas árvores. Na área que era usada como banheiro, um rolo de papel higiênico e um pedido de comida: "Hambúrgueres".

Eles também usavam um sistema de cordas entre as casas que ficavam nas árvores 

                                               Foto: Wolfgang Rattay/Reuters - 14/9/2018

Gabriela Lisbôa, do R7, com Reuters - 14/09/2018 - 11h25

Mais de Internacional