Brasil

RJ: 4 mil agentes fazem operação em comunidades das zonas norte e sul

Exército e Polícia estão no Complexo do Lins, Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Babilônia e Chapéu Mangueira; estrada Grajaú-Jacarepaguá foi fechada

3.700 militares das Forças Armadas participam da operação / Fernando Frazão - Agência Brasil -11.07.2018

Rayssa Motta, do R7* - 11/07/2018 - 09h11 (Atualizado em 11/07/2018 - 09h50)

Cerca de quatro mil homens das Forças Armadas e das polícias Civil e Militar fazem, nesta quarta-feira, 11 de julho, uma operação no Complexo do Lins, na zona norte do Rio de Janeiro, e nas comunidades do Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Babilônia e Chapéu Mangueira, na zona sul. A ação envolve o cerco, estabilização das áreas e desobstrução de vias. Pedestres e veículos estão sendo revistados.

As equipes contam com o apoio de veículos blindados, aeronaves e equipamentos de engenharia. Algumas ruas e acessos da região poderão ser interditados e setores do espaço aéreo poderão ficar restritos a aeronaves civis.

São empregados, no total das ações, 3.700 militares das Forças Armadas, 200 policiais militares e 90 policiais civis, segundo nota divulgada pelo Comando Conjunto.

A Polícia Militar verifica denúncias e bloqueia vias das comunidades, enquanto a Polícia Civil realiza a checagem de antecedentes criminais e cumpre mandados judiciais.

Nas redes sociais, usuários compararam a presença do Exército e dos tanques com um cenário de guerra.

De acordo com o Comando Conjunto, 674 mil pessoas que moram e transitam na região serão "direta e indiretamente beneficiadas por esta operação".

As ações se inserem no contexto das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública do Estado. Desde seu início, em 16 de fevereiro deste ano, a intervenção vem sendo marcada por incursões armadas em comunidades.

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou, via rede social, que os dois sentidos da autoestrada Grajaú-Jacarepaguá estão interditados desde às 6h. A via, que liga as regiões norte e oeste da cidade, corta o Complexo do Lins e costuma ser fechada em dia de operações na região. O desvio do trânsito é feito pela linha Amarela ou pelo Alto da Boa Vista.

Segundo informações do aplicativo Fogo Cruzado, que monitora os tiroteios e disparos por arma de fogo na capital e na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, tiros foram ouvidos no Complexo do Lins e no Pavão Pavãozinho na manhã desta segunda.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

Mais de Brasil